220v

http://volts220.blogspot.com/

Grandes ataques para pequenas migalhas

23/11/2010

A nota da Fundasp de ontem antecipou qual seria a linha que a Igreja levaria para a negociação. Um diálogo reiterando que quem manda na PUC-SP é a mantenedora e que atenderia as demandas no limite das possibilidades.
Hoje, os onze representantes dos cursos souberam que os limites da possibilidade era nada mais nada menos do que a combinação de grandes ataques a comunidade aliado a pequenas migalhas que não objetivavam o altruísmo cristão, mas sim a divisão do movimento estudantil. Essa prática de divisão já havia sido posta em prática na reunião do Consad que culminou na ocupação da Reitoria.
Antes de entrar no conteúdo das propostas, iremos fazer algumas denúncias sobre o funcionamento da reunião: a TVPUC não apareceu para transmitir a reunião, descumprindo o acordo firmado entre as partes, a Apropuc enfrentou resistência para poder assistir a negociação e por último o padre João Júlio saiu antes do final e o padre Rodolpho não compareceu.
A perfeita leitura da realidade fez com que o Consad soubesse que a correlação de forças está favorável a eles e que era o momento propício de irem à ofensiva para o aprofundamento do caráter elitista e mercantil da universidade. O salto qualitativo da correlação de forças se deu pela precipitada desocupação da Reitoria que tirou a carta na manga do movimento que não apenas era um elemento de pressão nas negociações como também dava visibilidade e repercussão nos três setores universitários e também na sociedade para a campanha pela redução de mensalidades. A não punição aos estudantes, por terem desocupado a Reitoria, foi o prêmio que o Consad nos deu para colocar a correlação favorável aos interesses deles.
Assim o Consad se viu confortável com a proposta de transformar a redução das mensalidades em redução do aumento das mensalidades. O Consad reajustou a proposta de aumento das mensalidades de 12% para 9,5%. Esse foi o ataque, agora a migalha consistiu na proposta de dar bolsas, mostrando como funciona a sua política de permanência estudantil e excelência. Lembrando que houve divergência nesse ponto entre Fundação e Reitor. Inicialmente o reitor sugeriu 100 bolsas e o padre J. J 50, sendo que no final ficou de cinquenta a 100 e não decidido o valor exato. E as 50 outras bolsas são de iniciação cientifica. Para 20.000 estudantes, mensalidades que custam mais de três ou quatro salários mínimos, para 100 alunos bolsas integrais, no melhor dos cenários, e 50 bolsas de pesquisa científica.
É sempre bom lembrar que o aumento das mensalidades irá aumentar também o número de inadimplentes. Se considerarmos pela perspectiva do inadimplente até mesmo o congelamento das mensalidades não atenderia as nossas demandas, pois as mensalidades ainda custariam de 3 a 4 salários mínimos e os índices de inadimplência seriam os mesmos e o status quo elitista não se alteraria. A consciência de que a inadimplência irá aumentar, fez o Consad humanizar-se e com muita piedade flexibilizasse a renegociação da dívida dos inadimplentes de 3 para 5 parcelas.
Recordemos que a luta pela redução das mensalidades objetiva garantir a permanência estudantil, reduzir a inadimplência e aumentar o acesso da população pobre. De modo que, não é qualquer redução que resolveria os nossos problemas, pois os preços das mensalidades são tão abusivos que uma redução de R$ 200,00 ,por exemplo, no curso de Psicologia seria inexpressiva, pois tornaria a mensalidade de R$ 1700 em R$ 1500, coisa que manteria o mesmo caráter, projeto e composição social da PUC-SP.
Mesmo cobrando essa fortuna mensal dos estudantes, o Consad é incapaz de garantir um bandejão de qualidade por R$3,00. Não garante a criação de um centro de educação infantil, para estudantes e trabalhadoras deixarem seus filhos e muito menos aumenta os vergonhosos 16 reais de hora-aula para os professores com doutorado nas Ciências Sociais. Isso pra não falar na efetivação dos trabalhadores terceirizados da limpeza. Pra onde vai todo esse dinheiro? Somente a Vale, Bradesco e o Santander têm direitos nessa universidade? E a comunidade não tem direito a nada, apenas a pagar? Ninguém aqui é otário. Seu bando de canalhas e safados, abram os livros de conta e digam em alto e bom som o que vocês fazem com o nosso dinheiro. Quem na realidade são os mantenedores da universidade? São os professores maximizados, funcionários terceirizados e estudantes inadimplentes e não a Igreja e os capitalistas da educação. Por isso, gritamos para todos: Abaixo o Consad!!! A PUC é nossa!!! Unidade estudantil para massificar a luta!!!
220V
___________________________________________________________

Pós-ocupação

22/11/2010

Ao contrário da assembléia da manhã que não apenas votou a permanência da ocupação como também avançou para a ocupação da cozinha, a assembléia da noite de um modo muito tumultuado e por uma diferença mínima deliberou a desocupação da Reitoria. Seu argumento foi o receio da entrada novamente da Tropa de Choque, coisa que não estava na ordem do dia. Os mesmos integrantes do CCA alteraram da manhã para a noite, assim como da água para o vinho, seus posicionamentos acerca dos rumos do movimento.
A carta escrita pelo reitor Dirceu de Mello na sexta-feira demonstrou uma inflexão na sua postura que inicialmente lavava as mãos sobre uma possível entrada da polícia para uma postura ofensiva de criminalizar o movimento. Essa atitude do reitor causou precipitadamente a desocupação. Por mais, que a posição da Reitoria tivesse mudado, ela não sinalizava imediatamente a entrada da Tropa do Choque, visto que há todo um trâmite a ser cumprido pelo oficial de justiça com uma liminar. Fato que não existiu.
Nós, votamos pela permanência da ocupação por acreditar que ela era melhor via de se conduzir a luta pela redução da mensalidade aliada à abertura do livro de contas. Para vocês terem uma idéia da visibilidade que ganhou a ocupação, iremos colocar alguns números: no facebook conseguimos 132 seguidores e as visitas diárias na semana foram 7.573, no blog apenas no dia 19 houve 3.100 visitas e sábado 1.635 visitas, no twitter foram 281 seguidores, ressaltando que esses números são muito maiores, pois, por exemplo, o blog registra visita por IP e quando o acesso é feito na PUC-SP o IP é o mesmo. No twitter e facebook há mais gente que acessa as informações além dos seguidores. Ademais, é bom lembrar que a ocupação obteve repercussão em toda a Imprensa e também moções de apoio de parlamentares e do movimento estudantil de todos os cantos do Brasil, assim como da fábrica argentina Flaskô que está sob controle operário.
Esses fatos demonstram que a ocupação da reitoria deu um salto qualitativo na campanha pela redução e essa experiência por ser ainda muito embrionária não havia esgotado todas as suas potencialidades. Inúmeros cursos estavam entrando de cabeça na ocupação, – Relações Internacionais, Serviço Social, Ciências Sociais, Geografia, etc-, ao contrário de interrompê-la, o movimento devia fortalecê-la e utilizar toda essa visibilidade para se antecipar e denunciar a sociedade a possível entrada da Tropa de Choque. Ao invés de nos retirarmos por uma ameaça que não estava na ordem do dia, teríamos agora uma correlação de forças muito mais favorável, a famosa carta na manga. Infelizmente, a decisão equivocada triunfou.
Mesmo discordando dela, continuaremos a campanha pela redução, pois não vamos perder o foco e nem muito menos iremos dividir o movimento, pois quem faz isso e com muito êxito é o Dirceu de Mello. Acreditamos que um erro não se conserta cometendo outro, por isso não somos sectários e devemos continuar atuando.
Nesse sentido, participamos da reunião com Dirceu e o Padre Rodolpho em que ficou acertado que a negociação irá ocorrer hoje, dia 22/11 entre o Consad e a Comissão de Negociação no período da tarde provavelmente entre às 14h e 15h e será transmitida via internet pelo site oficial da PUC-SP. Assim, acreditamos que toda a comunidade deva assistir e acompanhar de perto esse processo que ainda está em curso e continua com a nossa demanda que não apenas assegura a permanência estudantil e diminui a inadimplência, como viabiliza o acesso a universidade para a população pobre. Por isso, chamamos todos a participarem das próximas atividades do movimento e nos reunirmos hoje às 11h30min após o horário da aula. E a assembléia no período da noite.
220V
_____________________________________________________________

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s